Blog

COOPERATIVISMO: UM CAMINHO PARA O DESENVOLVIMENTO

25/05/2020 - 12:38

 


Rafael Bernardino de Sousa

 

“Estamos num ponto do tempo em que uma era de quatrocentos anos está morrendo e outra está lutando para nascer – uma mudança de cultura, ciência, sociedade e instituições muito maiores do que qualquer outra que o mundo já tenha experimentado. Temos à frente a possibilidade de regeneração da individualidade, da liberdade, da comunidade e da ética como o mundo nunca conheceu, e de uma harmonia com a natureza, com os outros e com a inteligência divina como o mundo jamais sonhou” 

DEE HOCK (fundador e Diretor Executivo emérito da VISA Internacional)

 

A literatura econômica tradicional adotava como indicador da riqueza de uma nação, o valor da sua “renda per capita”. O valor da “renda ou PIB per capita” de um país servia, portanto, de parâmetro para classificá-lo como desenvolvido ou subdesenvolvido.

 

Estudos mais recentes, especialmente um do Banco Mundial redefiniu, em 1995, o cálculo da riqueza de uma nação, para incluir os recursos naturais, humanos e outros “ativos produtivos” formados pelos seguintes fatores:

 

  • Capital natural;
  • Capital físico;
  • Capital humano e
  • Capital social.

 

O capital natural entendido como o conjunto formado pelo clima, pela terra, água, minerais, madeira e todos os demais recursos naturais existentes na natureza.

 

O capital físico é o valor das máquinas, prédios, infraestrutura (transportes, energia, comunicações) e tecnologia, que geralmente se encontra embutido no investimento de capital físico e é um dos elementos mais essenciais na criação da riqueza, na medida em que reforça a qualidade e produtividade decorrente do uso de recursos naturais e da capacidade do capital humano.

 

A contribuição do capital humano para a criação da riqueza nacional é direta. Quanto mais alto o nível médio de habilidade e conhecimento, mais fácil será para que os indivíduos em idade produtiva compreendam, apliquem e colham os frutos do progresso técnico e, portanto, mais alto será o padrão de vida do país, de forma que o investimento em educação deve ser o máximo e diversificado a ponto de preparar a população nos mais variados ramos do conhecimento.

 

O capital social é o conjunto formado pelas famílias e organizações que compõem a sociedade e sua importância está diretamente vinculada ao fato de que uma grande população gera uma enorme demanda de bens e serviços, formando um vultoso mercado potencial, ao mesmo tempo em que aumenta a possibilidade da existência de mais pessoas talentosas e capazes de desenvolver novas tecnologias e aumento de produtividade.

 

O cooperativismo se apresenta como um importante instrumento de conjugação de todos esses fatores (capital natural, capital físico, capital humano e capital social), possibilitando a sua utilização de forma estrategicamente bem planejada, conduzindo a sociedade rumo ao desenvolvimento.

 

Uma Cooperativa é legalmente definida como:

Uma associação autônoma de pessoas que se unem, voluntariamente, para satisfazer aspirações e necessidades econômicas, socais e culturais comuns, por meio de uma empresa de propriedade coletiva e democraticamente geridaconfirma ser a melhor alternativa para organização, fortalecimento e desenvolvimento da população  e por isso pode ser verdadeiramente o melhor caminho para a Paraíba (e para o Brasil) ter maiores possibilidades de redução dos índices de desemprego e fortalecer a sua economia.  

 

O cooperativismo brasileiro, segundo a OCB – Organização das Cooperativas Brasileiras, está classificado em sete diferentes ramos ou segmentos, de acordo com o ambiente econômico em que a cooperativa for constituída e as atividades desenvolvidas por seus associados. Por essa classificação, os ramos são os seguintes:

 

Ramo Agropecuário: composto por cooperativas relacionadas às atividades agropecuária, extrativista, agroindustrial, aquícola ou pesqueira.

Ramo Crédito: composto por cooperativas que prestam serviços financeiros a seus cooperados, sendo-lhes assegurado o acesso aos instrumentos do mercado financeiro.

Ramo Produção de Bens e Serviços: Engloba as cooperativas que prestam serviços especializados a terceiros ou que produzem bens tais como beneficiamento de material reciclável e artesanatos, por exemplo.

Ramo Infraestrutura: composto por cooperativas que prestam serviços relacionados à infraestrutura a seus cooperados. Por exemplo: geração e compartilhamento de energia elétrica e construção de imóveis para moradia.

Ramo Consumo: composto por cooperativas que realizam compra em comum tanto de produtos quanto de serviços para seus cooperados (supermercados, farmácias). Inclui, também, as cooperativas formadas por pais para contratação de serviços educacionais e também aquelas de consumo de serviços turísticos.

Ramo Transporte: este ramo é formado por cooperativas constituídas por proprietários de veículos de transporte de cargas e/ou passageiros.

Ramo Saúde: composto por cooperativas formadas por médicos, odontólogos ou profissionais ligados à área de saúde humana, enquadrados no CNAE 865. Ramo Agropecuário: composto por cooperativas relacionadas às atividades agropecuária, extrativista, agroindustrial, aquícola ou pesqueira. Não sofreu alteração.

 

O COOPERATIVISMO, EM QUALQUER UM DOS RAMOS, É CAPAZ DE:

 

  • Fortalecer a mentalidade empreendedora na sociedade;
  • Realizar negócios com vistas ao progresso social e econômico;
  • Colocar em prática o verdadeiro sentido de que A UNIÃO FAZ A FORÇA;
  • Investir onde o capital privado não tem interesse;
  • Unir pequenas somas de recursos e, juntos, se formar um GRANDE CAPITAL;
  • Transformar potencialidades produtivas em grandes negócios e ter acesso a MERCADO.
  • Reduzir a pobreza e a exclusão social, bem como garantir a geração de trabalho e renda.

Sugerimos ao leitor (a) que procure conhecer bem as vantagens e os benefícios que poderá obter ao participar de uma cooperativa, tanto do ramo crédito, de saúde bem como de qualquer outro ramo relacionado com a sua atividade profissionais, pois a união faz a força e uma cooperativa, se bem administrada, sempre será uma excelente alternativa para a solução de todas as questões econômicas e financeiras dos seus associados. 

 


 

pesquisa

categorias